Login | Cadastre-se
replica uhren
Topo
← Voltar

Mitos e Verdades sobre Escoliose

Publicado em 30/10/2018 por Camila Lino

              Vivemos em uma época em que as pessoas estão cada dia mais cuidadosas com a saúde do corpo, tanto que tem sido frequente a busca por tratamentos ligados à postura e coluna.

            Iremos ver em três matérias seguintes algumas patologias da coluna: Escoliose, Hipercifose e Hiperlordose.

            A primeira que vamos desmistificar é uma das mais antigas patologias da coluna, a chamada escoliose, que acomete 3% da população mundial segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Mas o que seria escoliose?

            A Coluna vertebral ou espinha dorsal é o eixo central do corpo responsável por nos dar a sustentação e ela tem algumas formas anatômicas bem definidas, chamada de curvaturas. Elas ajudam a parte superior do corpo a manter alinhamento e equilíbrio adequados.  

            Quando vemos a coluna na vista frontal (de frente), temos que ver uma linha reta passada pelo corpo, quando ele está “tombando” para algum lado, estamos com um desvio postural, chamado de Escoliose.

Vamos conhecer alguns mitos e verdades:

1.      Carregar peso nas costas provoca escoliose?

MITO. Este é um dos mitos mais famosos a respeito da escoliose. Usar mochilas muito pesadas ou bolsas em apenas um dos ombros pode causar dores por fadiga muscular e, por decorrência disso, provocar um curvamento momentâneo da postura para compensar o peso. Entretanto, este curvamento não entorta a estrutura óssea da coluna, como muitas pessoas pensam. Logo, não provoca escoliose.  

Entretanto, IMPORTANTE DIZER que o uso rotineiro pode sim trazer alterações na postura, e isso sim, pode levar a escolise. Então procure evitar!

2.      Quem tem escoliose não pode praticar esportes?

MITO. Muito pelo contrário. Atividade física ajuda a fortalecer a musculatura e diminuir as chances de desenvolver dores musculares relacionadas a escoliose. A atividade física também ajuda a um melhor desenvolvimento do sistema respiratório.

3.      É mais comum a escoliose em meninas, em fase de crescimento, do que nos meninos?

VERDADE. Estudos epidemiológicos mostram que no tipo mais comum de escoliose que é a escoliose idiopática do adolescente, a doença é mais prevalente em meninas altas, brancas e magras, o motivo ainda é desconhecido.

4.       É possível que alguma criança já nasça com a escoliose?

VERDADE. Esse tipo de escoliose que é muito incomum é provocado por uma má formação na vértebra durante a fase embrionária, ainda no útero da mãe. Essa escoliose apresenta um comportamento diferente da escoliose convencional, (mais comum) e necessita de um tratamento diferenciado.

5.      Cirurgia é o único tipo de tratamento para Escoliose?

MITO. Depende muito do grau em que esta escoliose está, para os casos mais leves, é indicado fisioterapia e uso de coletes especiais, além de reeducação de hábitos que agravam o quadro. A Fisioterapia tem um papel fundamental para a melhora da escoliose, existem várias técnicas podem ser utilizadas para este tratamento, como RPG, Pilates, Isostretching, Bola Suíça, Técnica de Klapp etc.

            Em casos em que o grau do desvio é acima de 40, é indicada a cirurgia, especialmente na adolescência que, pelo fato de ainda estarem em formação, tendem a ter evolução do desvio da coluna. Nestes quadros, normalmente não há dor, mas a alteração estética causa grande desconforto para o adolescente que está em formação física e emocional.

            Sendo assim, como posso fazer para evitar esse tipo de patologia?

            Em casos da forma congênita (genética) não há como evitar, mas há o tratamento específico. Quanto aos demais casos, o ideal é sempre fazer exames para eventual detecção precoce de escoliose, que podem prevenir complicações e a progressão da doença.

            Procure um médico se você notar sinais ou sintomas de escoliose principalmente se estiver acompanhado de queixa de dor. Curvas suaves, no entanto, podem se desenvolver sem que ninguém note, pois, a deformidade pode progredir lentamente por justamente não causar dor.

            E o mais importante: SEMPRE procure o fisioterapeuta, pois ele é o profissional habilitado para fazer uma avaliação postural.

Avaliações


Esta matéria ainda não foi comentada. Seja o primeiro!